segunda, 10 junho 2013 14:38

Plano de Acção do Sector de Energia e Águas apresentado em palestra

PAL MINEA
A execução dos projectos de distribuição de energia e água em Angola, no quinquénio 2013-2017, vai consumir mais de três triliões e 400 biliões de Kwanzas, informou no dia 7 de Junho, em Luanda, o ministro do sector, João Baptista Borges. Segundo o governante, que falava no acto de apresentação do "Plano de Acção do Sector de Energia e Águas para o Período 2013-2017" aos membros do Comité de Especialidade dos Engenheiros do MPLA, o sector das águas exigirá um consumo de dois triliões e 700 milhões, enquanto a área da energia deverá consumir 700 biliões do valor global.
 
Explicou que a verba reservada ao sector de energia vai cobrir o reforço da capacidade de produção térmica nacional, o abastecimento de energia aos projectos agro-industriais e o abastecimento de electricidade às sedes municipais e comunais.Já o montante reservado ao sector das águas vão permitir, de acordo com o ministro, ampliar o abastecimento de água às capitais das 18 províncias do país e às sedes municipais.
 
No âmbito do plano de estratégia de segurança energética, o ministro anunciou a constituição formal de três novas empresas do sector eléctrico, nos últimos meses de 2013. O Executivo Angolano estabeleceu, para o quinquénio 2013-2017, objectivos específicos assentes em operacionalizar, até ao final de 2014, uma capacidade de geração de energia eléctrica de até mil e 500 megawatts (MW).
 
Fazem parte do programa o estabelecimento de sistemas públicos de abastecimento em 82 sedes municipais (de um total de 166) e de 271 sedes comunais de um total de 531), até ao final de 2014. Para o sector das águas, os objectivos do Executivo até ao ano 2017 perspectivam, entre outras iniciativas, a ampliação dos níveis de cobertura ou acesso para até cem porcento nas zonas urbanas e 80 pontos percentuais nas áreas rurais.
 
Fonte: Centro de Documentação e Informação do Ministério da energia e águas - CDI - MINEA