sábado, 12 junho 2010 14:26

“Angola continua num estado de procura reprimida” Destaque

Escrito por 
Classifique este item
(1 Vote)

Ministra do MINEAA ministra da Energia e Águas, Emanuela Vieira Lopes, revelou, recentemente, que Angola duplicou a produção de energia, mas “continua num estado de procura reprimida”.

Emanuela Vieira Lopes, que falava na abertura da 31.ª Reunião dos Ministros de Energia da SADC, garantiu que o Governo está a trabalhar “no sentido de se ultrapassar a situação num curto espaço de tempo”.
Angola está empenhada na estratégia regional das energias renováveis, que vai contribuir para o desenvolvimento das energias limpas, salientou a ministra. A estratégia, sublinhou, passa por um programa de conservação energética da Biomassa.
Os progressos na região da SADC indicam que além dos 70 MW instalados no Botswana, outros 730 MW vão ser instalados, ainda este ano, em Angola, África do Sul e Zâmbia. No próximo ano, adiantou Emanuela Vieira Lopes, vai proceder-se à instalação de mais de 1.750 MW para o Botswana, Namíbia, Tanzânia e África do Sul, o que vai contribuir para que a região esteja cada vez mais abastecida de Energia.
A ministra defendeu a revisão do protocolo de energia, a política energética e o plano de actividades de energia, que inclui mudanças climáticas, energias renováveis e eficiência energética.
“Numa região com enormes potencialidades hídricas, onde as energias solar e eólica podem desempenhar um papel preponderante, associado à existência de gás, mais de 80% da população ainda sobrevive com base na biomassa.
Emanuela Vieira Lopes entende que a aprovação de instrumentos, como as estratégias do acesso à energia e o plano de acção, vão favorecer a tomada de medidas decisivas para a alteração do quadro actual.


Ler 4082 vezes